Google repete: não se preocupe com palavras-chave na URL

Google diz para não se preocupar com palavras-chave nas URL's

Google diz para não se preocupar com palavras-chave nas URL’s, afinal os usuários não veem.

Por esta você não esperava.

John Mueller do Google repetiu dizendo para não se preocupar com palavras ou palavras-chave nos URLs.

John respondeu a uma pergunta recente no Twitter dizendo:

“Eu não me preocuparia com palavras-chave ou palavras em um URL. Em muitos casos, as URLs não são vistos pelos usuários de qualquer maneira.”

Johm Mueller

Ele faz referência ao vídeo de Matt Cutts de 2009, onde diz que as palavras-chave desempenham um papel pequeno no ranking, mas muito pequeno.

Em 2017, John Mueller disse que as palavras-chave, em URLs, ganham importância demais e que é um pequeno fator de classificação.

E o que você acha disso, SEO?

Você importância para suas URL’s colocando a palavra-chave em todas, super-otimizando-a?

O que é READABILITY (legibilidade)?

readability legibilidade

Readability é fazer seu leitor entender o conteúdo do seu texto

Não adianta nada investir milhares de reais em marketing digital ou em campanhas de links patrocinados esperando resultados se o leitor não consegue entender seu texto, para isso foque em readability.

Readability é mais que a legibilidade de um texto.

É criar um texto útil, relevante e de fácil entendimento e é isso que o Google ama.

Vamos descobrir mais sobre a legibilidade de um texto!

Prendendo a atenção do leitor

Um leitor, em média, não espera mais do que alguns segundos para começar a ver o conteúdo de uma página surgir na tela do seu celular.

Somos leitores muito ansiosos!

Queremos saber tudo ao mesmo tempo agora!

E a forma como escrevemos e mostramos nosso conteúdo textual tem impacto nesta espera.

O leitor quer ler o que procura o quanto antes e para isso ele procura visualmente o bloco de texto que tem a palavra-chave que procurou no Google.

Você também é assim, não é?

Você esta lendo ainda?

Se respondeu sim, o readability (ou a legibilidade) está funcionando.

Passar a mensagem de maneira que uma criança entenda, sem forçar a barra com palavras difíceis, farão seu texto ter mais sucesso.

Neste momento, reparem que:

  • escrevo parágrafos curtos e objetivos
  • tenho intertítulos definindo novos assuntos
  • negritei palavras para dar ênfase e foco mental ao leitor
  • os espaços das entrelinhas são maiores
  • o tamanho da fonte é maior do que esta acostumado a ler por ai.

Isso é legibilidade a favor do leitor.

O que é readability?

Como melhorar a readability do seu conteúdo

  1. Usar parágrafos curtos;
  2. Criar sentenças curtas;
  3. Focar na sua audiência;
  4. Usar poucas palavras difíceis;
  5. Usar palavras de transição (portanto, entretanto, enquanto, consequentemente).

Ferramentas Online de Legibilidade

Existem equações para determinar a legibilidade de um texto, consequentemente, existem ferramentas para nos ajudar a calcular o melhor formato de texto.

Para quem não usa o WordPress e usa o plugin do YOAST (análise de legibilidade), e precisa escrever os textos em outros editores, segue uma lista de ferramentas online:

Portanto, chegamos ao que interessa: foco do leitor em nossa página.

Flesch Reading Score

É recomendado ter menos de 25% dos parágrafos do texto com menos de 20 palavras em uso.

A fórmula do Flesch Reading Score é assim: quanto maior for a pontuação mais é fácil leitura.

Consequentemente, uma baixa pontuação indica dificuldades de leitura.

Concluindo, crie um texto para crianças de 12 anos. Se elas entenderem a mensagem a legibiliade (readability) será perfeita para o Google!

Qualidade de Conteúdo – Google solta bomba sobre indicativos de qualidade

Qualidade de conteúdo

Bomba! Google solta bomba sobre indicativos de qualidade

Google: Contagem de palavras, contagem de links, taxas de texto âncora não são indicativos de qualidade!

John Mueller, do Google, respondeu no Twitter dizendo que a contagem de palavras, número de backlinks, número de links externos, a porcentagem de texto âncora e assim por diante não é “indicativo de qualidade“.

Aqui está o tweet e a resposta de John.

indicativo de qualidade

Então, se nenhum deles é um indicador de qualidade, como o Google mede a qualidade?

Ou talvez John esteja dizendo que artigos com menos palavras ou menos links podem ter a mesma qualidade que o artigo acima?

Eu não acho que qualquer SEO concordaria com John que essas métricas específicas não são importantes na estratégia de SEO, pelo menos de alguma forma, elas devem ser usadas pelo algoritmo de classificação do Google para medir a qualidade e a relevância.

Os SEOs devem ficar obcecados com essas métricas?

Não.

Mas eles são indicativos de como o Google mede a qualidade?

Talvez?

Mas John está dizendo que não é.

E agora?

fonte: Seroundtable

Conteúdo antigo no Google? Você tirou mas ainda aparece nas pesquisas. E agora?

conteúdo antigo no Google

Conteúdo antigo no Google? O Google pode não achar esse conteúdo importante.

O Google explica como a taxa de rastreamento pode ser usada como confirmação de que uma página pode ser removida de seu website e, portanto, de seu índice.

Você já esteve em uma posição em que removeu páginas do seu website e o Google demorou muito tempo para remover esse conteúdo de seus resultados de pesquisa?

Não há motivo para se preocupar.

Significa apenas que o Google ainda não rastreou a página e não descobriu que o conteúdo foi removido.

John Mueller, analista de tendências para webmasters do Google, explicou no Twitter que, se o Google não remover esse conteúdo, é possível que o Google não rastreie essa página com muita frequência.

Se esse for o caso, John disse:

“Geralmente isso é um sinal de que não achamos que eles são tão importantes”.

Isso seria uma confirmação adicional do Google que “poderia ajudar a confirmar que eles estavam ok para remover” esse conteúdo do seu local.

Em resumo, se você remover o conteúdo do seu site, e o Google ainda não tiver removido o conteúdo de seu índice, é uma confirmação adicional do Google de que ele não considerou esse conteúdo tão importante assim mesmo.

Fonte

Google redefine Conteúdo de Baixa Qualidade

Diretrizes de Qualidade

Google redefine o que é um Conteúdo de Baixa Qualidade

O Google atualizou suas Diretrizes de Qualidade, esta semana, que inclui novas informações sobre a avaliação de páginas de “baixa qualidade” e “qualidade mais baixa”.

De todas as alterações feitas nas diretrizes, as seções sobre a qualidade da página receberam as atualizações mais significativas.

As diretrizes do Quality Rater são um conjunto de instruções que os avaliadores de qualidade do Google seguem ao avaliar manualmente o desempenho dos algoritmos do Google.

Assim, em outras palavras, se um avaliador analisasse se um conteúdo é ou não de “baixa qualidade”, ele se referiria ao que está disposto nas Diretrizes do Avaliador da Qualidade.

É importante saber que os avaliadores de qualidade não podem alterar pessoalmente a classificação de uma página.

Em vez disso, eles passam feedback para aqueles que escrevem os algoritmos do Google.

A partir daí, uma atualização de algoritmo pode ser lançada, o que afetaria as classificações de página.

Como as diretrizes do avaliador de qualidade do Google definem páginas de baixa qualidade

De acordo com as diretrizes atualizadas do Quality Rater do Google, as páginas de baixa qualidade são aquelas que não cumprem o que planejam alcançar.

Isso pode ser por uma das duas razões.

Ou não há conteúdo principal (MC – main content) suficiente para satisfazer adequadamente o leitor ou o criador de conteúdo não tem experiência no assunto sobre o qual está escrevendo.

“Páginas de baixa qualidade podem ter sido destinadas a servir a um propósito benéfico. No entanto, as páginas de baixa qualidade não atingem bem seus propósitos porque não têm uma dimensão importante, como ter uma quantidade insatisfatória de MC, ou porque o criador do MC não tem experiência para o propósito da página. ”

A principal diferença entre essa definição revisada de páginas de baixa qualidade e a definição anterior é que a qualidade ainda deve ser considerada “baixa”, mesmo que haja uma intenção clara de que a página tenha um propósito benéfico.

O que os Avaliadores de Qualidade fazem?

Os avaliadores de qualidade são instruídos a classificar uma página como “Baixa” se um ou mais dos seguintes itens se aplicam:

  • Um nível inadequado de Especialização, Autoridade e Confiabilidade (E-A-T).
  • A qualidade do MC é baixa.
  • Há uma quantidade insatisfatória de MC para o objetivo da página.
  • O título do MC é exagerado ou chocante. (CLICKBAIT?)
  • Os anúncios distraem do MC.
  • Existe uma quantidade insatisfatória de informações sobre o site ou informações sobre o criador do MC para o propósito da página (nenhuma boa razão para o anonimato).
  • Uma reputação levemente negativa de um site ou criador do MC, com base em extensa pesquisa de reputação. Se uma página tiver vários atributos de Baixa qualidade, uma classificação menor que Baixa poderá ser apropriada.

O que significa é que os artigos com títulos no estilo clickbait devem agora ser considerados de qualidade “baixa”.

Independentemente da qualidade real do conteúdo principal.

O Google elabora sobre este ponto, afirmando:

“Títulos exagerados ou chocantes podem levar os usuários a clicar em páginas nos resultados de busca. Se as páginas não corresponderem ao título ou às imagens exageradas ou chocantes, a experiência deixará os usuários surpresos e confusos … As páginas com títulos exagerados ou chocantes que não descrevem bem o MC devem ser classificadas como Baixa. ”

Resumo das Diretrizes de Qualidade

Aqui está um resumo de outras alterações notáveis ​​que foram feitas nas seções “Páginas de baixa qualidade” e “Páginas de menor qualidade”.

  • Agora, os anúncios devem ser considerados uma distração se eles apresentarem imagens grotescas.
  • Pesquisas extensivas são necessárias para avaliar a reputação de um criador de conteúdo.
  • Identificar um criador de conteúdo usando um alias ou nome de usuário de Internet de longa data agora é aceitável.
  • Uma página é de qualidade “mais baixa” quando o propósito da página não pode ser determinado.
  • As páginas “Seu dinheiro, sua vida” (YMYL) sem informações sobre o criador do conteúdo devem ser classificadas como as mais baixas.
  • Os sites não mantidos devem ter a menor qualidade se não conseguirem atingir seu objetivo devido à falta de manutenção.
  • As páginas que promovem ódio contra grupos de pessoas com base no status socioeconômico, crenças políticas e vítimas de atrocidades devem ser classificadas como as mais baixas.
  • Páginas que promovem danos mentais, físicos ou emocionais a si mesmos ou a outras pessoas devem ser classificadas como as mais baixas.
  • O conteúdo deve ter a classificação mais baixa se o criador tiver uma reputação negativa ou maliciosa.
  • Páginas com links que são prejudiciais para os usuários, como links de download de malware, devem ser classificadas como as mais baixas.
  • As páginas que desinformam os usuários com “conteúdo comprovadamente impreciso” devem ser classificadas como as mais baixas.
  • Qualquer página projetada para induzir os usuários a clicar nos links deve ser classificada como a mais baixa.

Diretrizes de Qualidade PDF liberado

Os pontos listados acima são todos novos acréscimos às Diretrizes do avaliador de qualidade do Google.

Para mais informações, consulte o documento PDF completo aqui.

Fonte: SEJ

Precisa de uma consultoria de SEO para entender melhor as Diretrizes de Qualidade?